Surreal…

Chuvas torrenciais, ciclones tropicais, frentes frias… ? a impotência da humanidade perante a força natural. A primeira coisa que pensamos quando algo desse tipo acontece é, por exemplo no caso de chuvas: “Tem que parar de chover logo.”

Realmente, tem que parar de chover logo para que as pessoas que foram diretamente atingidas parem de sofrer na calamidade, mas é necessário que todos tenham consciência do que esta acontecendo. A culpa dos alagamentos no Rio de Janeiro não é somente da natureza que despejou milhões de litros de água na cidade, a culpa é da população que fica jogando lixo e sujeira descaradamente e inapropriadamente na rua, de quem coloca lixo na rua às 20 horas do dia anterior para ser recolhido somente as 08 horas da manhã. ? lamentável como a sociedade não se importa com a porta do vizinho. Pensamentos egoístas do tipo “minha porta esta limpa, isso que interessa” são totalmente inaceitáveis considerando que vivemos em um país regido por leis que incentivam o respeito e a convivência harmoniosa com o próximo, porém, as mesmas leis que regem a liberdade, confundem ou ofuscam a visão da sociedade sobre o que pode ou o que não pode ou o que deve ser feito.

Infelizmente, o bom senso esta ficando cada mais escasso.

2 Comentários


  1. Estimado amigo: Recibí un aviso de El Librepemsador que me informa que intereses: «I found your entry interesting thus I’ve added a Trackback to it on my weblog :)…

    A new comment on the post 26190 “«Cortejando el Desastre», o la justificación de la tortura” is waiting for your approval

    http://www.ellibrepensador.com/2010/02/27/%c2%abcortejando-el-desastre%c2%bb-o-la-justificacion-de-la-tortura/

    agradezco mucho tu interés y autorizo lo enlaces. Un abrazo,

    carlos

Deixe uma resposta